Bom dia! Terça-feira, 26 de maio de 2020

As conexões das Forças Armadas do Reino Unido com o desmatamento no Brasil

Postado em 11/05/2020 as 11:09:03
Por Redação | 06/05/20

Carne servida a militares do Reino Unido no Oriente Médio tem origem em uma empresa brasileira cujos fornecedores desmataram ilegalmente mais de 8.000 hectares de terra, na Amazônia e no Cerrado

As Forças Armadas britânicas no Oriente Médio estão recebendo carne bovina de uma empresa brasileira cujos fornecedores desmataram ilegalmente mais de 8.000 hectares de terra ? incluindo áreas dos biomas Amazônia e Cerrado. O caso foi revelado por um novo relatório da ONG Earthsight, em parceria com a Repórter Brasil.

O relatório mostra que a carne bovina distribuída pelo Ministério da Defesa do Reino Unido no Bahrein é fornecida por Frigorífico Sul Ltda (Frigosul), parte do grupo FugaCouros ? um dos maiores produtores de couro do Brasil.
A empresa comprou milhares de bois de agricultores que foram multados em um total de 33,5 milhões de reais por fiscais do Ibama por desmatamento ilegal, falsificação de documentos e poluição.

A Frigosul disse à Earthsight que monitora seus fornecedores através de uma empresa terceirizada e, portanto, não é possível que a empresa possa comprar de fazendas sancionadas pelo Ibama. A empresa disse que por convicção e princípios não compra gado de propriedades rurais que estão em listas de embargos.

No entanto, a investigação revela que, desde 2018, duas plantas da companhia obtiveram animais de fornecedores que haviam desmatado mais de 8.000 hectares. Dois terços dos R$ 33,5 milhões em multas acumuladas pelos fornecedores da Frigosul nas últimas duas décadas permanecem sem pagamento, diz o relatório.

Falta de rastreabilidade

Além da Frigosul, a empresa brasileira Minerva também é fornecedora das Forças Armadas do Reino Unido no Bahrein.
Minerva disse à Earthsight que as compras de gado na Amazônia são ?100% feitas em fazendas monitoradas?. Se alguma irregularidade for identificada, explicou em comunicado, o departamento de sustentabilidade da companhia bloqueia compras do fornecedor.

No entanto, a investigação identificou um fornecedor conhecido do Minerva em Rondônia que movia gado de uma área embargada para outra ?limpa?, a fim de evitar os filtros do Minerva. Os animais seguiam então para as instalações da empresa em Rolim de Moira, que por sua vez enviava a carne para as forças do Ministério da Defesa do Reino Unido no Bahrein.

Minerva disse à Earthsight que não possui meios eficazes de verificar e rastrear fornecedores indiretos. Quando informada do caso, a empresa disse que iria investigar e tomar medidas apropriadas se fosse encontrada alguma irregularidade. Em sua declaração, acrescentou que o problema de monitorar fornecedores indiretos está profundamente enraizado no setor. Segundo a empresa, atualmente não há dados e estatísticas acessíveis e confiáveis ??sobre toda a cadeia do gado para determinar o número de fornecedores indiretos no Brasil.

Fonte: Repórter Brasil

Link: https://reporterbrasil.org.br/2020/05/as-conexoes-da-forcas-armadas-do-reino-unido-com-o-desmatamento-no-brasil/?fbclid=IwAR3P-jgSqaYjjkdGl5bfPgkozafHX8jtzwxatWYeYD-BK1URyTLX6h7wtAg

Rua Bernal do Couto, 1329, bairro: Umarizal, CEP: 66055-080 - Belém/PA
Tel.: (91) 4005-3751 / (91) 4005-3755| E-mail: fundodema@fase.org.br
CNPJ: 33.700.956/0004-06